Recomendação de animê: Black Lagoon – Ação sem hipocrisia

110647

Um salaryman que foge de uma rotina insuportável e cai no submundo do crime.
Um lugar que não há lei, onde os piores bandidos do mundo se reúnem.
Muita ação, personagens carismáticos e zero de heroísmo.

34

Okajima é um típico japonês: acabou de se formar na faculdade e se tornou um salaryman. Além da exaustiva rotina, ainda precisa aturar os trabalhos não-oficiais, como por exemplo, beber com o chefe. Como todo salaryman, ele enfrenta diversos tipos de humilhação na empresa. O pior de tudo é a perspectiva de futuro: ter essa mesma vida até a aposentadoria.
Numa viagem a trabalho, onde seu objetivo era transportar um CD, o navio que ele estava é atacado por mercenários, que estão justamente atrás do CD. O grupo rouba o objeto e leva Okajima de refém. O que ele não sabia é que o disco continha arquivos ultra secretos da empresa, sobre negócios ilegais que ela estava fazendo. Assim que a empresa descobre que o CD foi roubado, contrata mercenários para explodir o navio em que Okajima estava sendo mantido refém. Tudo para proteger a empresa, sem se preocupar com o funcionário que iria morrer na operação.
Após muita ação, Okajima e os sequestradores conseguem fugir. Desiludido por ter sido descartado e não querendo levar uma vida de salaryman, ele resolve se juntar ao grupo que o sequestrou, conhecido como Black Lagoon.

Black Lagoon é um animê de ação desenfreada onde acompanhamos o grupo de mesmo nome em diversas missões. Ela é uma companhia de entrega de cargas ilegais (desde bebidas até pessoas), com sede numa cidade chamada Roanapur, um local completamente sem lei, dominado por bandidos.

1.jpg

O ponto alto do animê é mostrar a realidade de forma verdadeira, crua. Roanapur é um pesadelo para qualquer pessoa normal, é onde os piores criminosos do mundo vivem, então, não espere nenhum ato de heroísmo nessa cidade. E isso vale para os protagonistas também: eles estão ali para realizar entregas, sem moralismo, sem querer salvar o mundo, sem querer ser o mocinho. Não existe heróis em Black Lagoon, todos são vilões. A única coisa que importa é defender os seus próprios interesses.
Até a relação de parceria entre os quatro do grupo tem seus limites. Obviamente que vale a regra de ajuda mútua, mas em casos extremos, onde a desvantagem é muito grande, onde a chance de vitória é quase zero, ninguém vai bancar o herói.

O único ponto fora da curva é o Okajima, que passa a ser chamado de Rock. É muito interessante ver como ele vai lidando com esse mundo novo, como ele vai evoluindo, como ele vai deixando para trás o mundo normal para entrar no submundo. Durante todo esse percurso, inúmeros conflitos acontecem, tanto internos, como com outros personagens. Fora que ainda existe uma ligação com o mundo normal que ele busca manter (representado fisicamente por ele sempre usar roupa social em trabalho), para salvar um pingo de humanidade dentro dele.

Os quatro integrantes da Black Lagoon (Dutch, Revy, Benny e Rock) são incríveis. No final do segundo episódio já estava adorando os quatro. É interessante observar que não existe nada de novo neles, são personagens que todo mundo já viu por aí, só que a forma como são colocados, as situações que passam, os diálogos que ocorrem, enfim, o desenvolvimento, é muito bem feito. O destaque fica para Revy (a waifu mais letal que você pode ter xD), que é uma habilidosa atiradora, tem pavio curtíssimo, é extremamente prática e só está preocupada com dinheiro.

31.png

O animê é quase episódico, já que cada arco é uma missão diferente, mas todos os acontecimentos impactam nos personagens e na forma como eles se relacionam. Dessa forma, acaba criando uma linha principal por trás dos arcos, apesar de não ter nenhuma história maior ligando tudo.
No geral, Black Lagoon é muito bom, mas os arcos acabam oscilando, uns são melhores do que outros, contudo, o principal, que é a ação desenfreada, está sempre lá.

O animê abraça a vilania e vai com ela até o final. Esse é o grande diferencial dele para outras obras de ação. Sem heroísmo, sem sentimentalismo, sem querer ser bonzinho, o único objetivo é ganhar dinheiro e sobreviver para poder aproveitá-lo.

Sayonara. Bye, bye o/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s